domingo, 30 de agosto de 2009

Prece para acalmar o coração.


Que o coração enfurecido do meu Senhor se aplaque.
Que o Deus, não sei qual, se aplaque.
Que a Deusa, não sei qual, se aplaque.
Que o Deus, qualquer que seja ele, se aplaque.
Que o coração de meu Deus, se aplaque;
Que o coração da Deusa, se aplaque;
Que o Deus e a Deusa se aplaquem;
Que o Deus que se afastou de mim encolerizado, se aplaque.
Que a Deus que se afastou de mim encolerizada, se aplaque;

A falta que cometi, não a conheço.
Comi pão feito de lágrimas e prantos, bebi a água.
Infringi, sem o saber, a proibição do meu Deus.
Fiz sem o saber, o que minha Deusa detesta.

Meu Senhor,
Numerosas são minhas faltas, grandes minhas infrações;
Meu Deus:
Numerosas são minhas faltas, grandes as minhas infrações;
Minha Deusa:
Numerosas são minhas faltas, grandes minhas infrações.
Ó Deus, quem quer que sejais:
Numerosas são minhas faltas, grandes minhas infrações;
Ó Deusa quem quer que sejais:
Numerosas são minhas faltas, grandes minhas infrações;
A falta que cometi, eu não a conheço;
A infração que cometi, eu não a conheço;
A proibição que violei, eu não a conheço;
A coisa detestável que pratiquei, eu não a conheço.

O Senhor, em seu coração enfurecido, olhou para mim com maldade.
O Deus, em seu coração encolerizado, fez com que eu fosse atingido.
A Deusa encolerizada afastou-se de mim e me tornou enferma;
Um Deus, sem que eu saiba qual, me queima;
Uma Deusa sem que eu saiba qual, colocou em mim o tormento.

Procuro sem cessar, e ninguém, me toma pela mão.
Chorei, e ninguém se aproximou de mim;
Lamento-me, e ninguém me ouve.
Estou atormentada, estou cega, não vejo mais.

Meu Deus misericordioso, volta-te para mim eu te imploro;
Minha Deusa eu beijo teus pés.
E me arrasto sem cessar diante de ti.
Ó Deus, quem quer que sejas, volta-te para mim eu te imploro;
Meu Senhor, volta-te para mim eu te imploro.
Deusa, dirige o teu olhar para mim, eu te imploro!
Deus, quem quer que sejas, dirige teu olhar para mim, eu te imploro!
Deusa, quem quer que sejas, dirige o teu olhar para mim, eu te imploro!

Quando se aplacará ó meu Deus, teu coração encolerizado?
Quando se aplacará, ó minha Deusa teu coração hostil?
Ó Deus, quem quer que sejais, quando se placará teu coração encolerizado?
Ó Deusa, quem quer que sejas, quando se aplacará teu coração hostil?

Os homens são estúpidos e não sabem nada;
Pois mais numerosas que sejam, que sabem eles?
Ajam mal, ajam bem, nada sabem.

Meu Senhor, não rejeiteis teu servo;
Ele jaz na lama, toma-o pela mão.
O mal que fiz, transforma-o em bem.
A falta que cometi, que o vento a leve.
Meus erros são muitos; Como uma veste tira-os de mim.
Meu Deus, minhas faltas são sete vezes sete.
Absolve-me de minhas faltas.
Minha Deusa, minhas faltas são sete vezes sete.
Absolve-me de minhas faltas.
Absolve-me de minhas faltas para que eu cante teus louvores.

Que o teu coração,
como o coração de uma mãe carnal,
de um par carnal,
que ele se aplaque.
Prece babilônica anterior a 1600a.c.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Seu comentário será aprovado após moderação.
Obrigada pela contribuição!

Postar um comentário